Cohidro e irrigantes da Ribeira definem fiscalização e novas regras de distribuição de água

Período estendido de 12h de irrigação será testado entre 08 e 18 de março, com restrição de um ramal por produtor rural
[Foto: Fernando Augusto]
Para balanço da fiscalização e definir as futuras regras de operação da distribuição de água no Perímetro Irrigado Poção da Ribeira, em Itabaiana, a diretoria executiva da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) reuniu-se com agricultores irrigantes no início da semana. Na ocasião, foi apresentado o novo equipamento de identificação de tubulações subterrâneas irregulares, que já começou a ser usado e, oficialmente, a equipe de fiscalização da Cohidro, que realiza cortes nos pontos de furto encontrados.

Seguindo as medidas preventivas à Covid-19, a reunião foi realizada em área externa e aberta, com distribuição de máscaras de proteção respiratória. Por votação, os usuários da Ribeira aceitaram a proposta da Cohidro de estabelecer um período teste (08 a 18 de março), em que a irrigação vai funcionar com água ininterrupta em todos os 466 lotes, das 05h às 17h, desde que cada irrigante use somente um dos seus ramais de irrigação por vez. De acordo com o diretor de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da Cohidro, João Fonseca, o período de 10 dias em que será experimentado o novo período de irrigação, servirá para avaliação tanto dos irrigantes quanto da Cohidro. “Os produtores vão ter que se adequar a utilizar a água de modo escalonado. Antes, no período mais curto, era permitida a abertura de mais de um ramal. Nas 12 horas ininterruptas de irrigação isso termina. Eles terão que alternar o uso entre os dois ou mais ramais, a depender do tamanho do lote, durante essas 12 horas, utilizando somente um ramal de cada vez”, explica o diretor.

A Fiscalização da Cohidro vai atuar para que o irrigante não exceda a sua limitação de uso de ramais e também sob o furto e o uso de reservatórios, também proibidos, que podem provocar o corte da água de irrigação como punição. Outro ponto proposto e votado pelos irrigantes foi a mudança do tempo de suspensão da água de irrigação nos casos de furto. Antes eram três dias, dobrando e triplicando o período em casos de reincidência, culminando em corte definitivo no quarto flagrante. Agora, passaram a valer 30 dias de suspensão, com a mesma progressão, em caso de reincidência. Para religação, existe multa e taxa de serviço.

As novas definições foram bem aceitas pelo agricultor irrigante José Valdeilson, do povoado Forno. Para ele, a reunião foi bastante proveitosa e esclarecedora. “A reunião foi ótima, gostei do procedimento do presidente. Se a fiscalização acontecer como foi dito, será ótima, pois temos que fazer o correto para ninguém ser prejudicado”, considerou o produtor, que planta batata-doce e coentro em seu lote irrigado.

A ampliação de 6h para 12h, no período de distribuição de água nos lotes, será possível devido aos investimentos que estão sendo feitos no perímetro. Da mesma forma, a ação mais efetiva para eliminar o uso irregular da água, como conta o presidente Paulo Sobral. “O Programa Águas de Sergipe, do Governo do Estado e Banco Mundial, investiu R$ 14,3 milhões para troca de todo sistema de irrigação usado nos lotes da Ribeira e Jacarecica I, ambos em Itabaiana. Estamos licitando a compra de válvulas-borboletas e válvulas de retenção de fechamento rápido, investindo mais R$ 50 mil com recursos próprios, e vamos licitar também a recuperação e operacionalização dos hidrômetros dos lotes. São ações que promovem economia de mais de 50% no uso de água de irrigação e energia elétrica de bombeamento; e também para coibir o uso abusivo da água, nivelando o consumo de cada lote. Tudo isso promove uma folga na capacidade do sistema, permitindo as mudanças”, detalha Paulo Sobral.

Participação
Também estiveram presentes na reunião, o gerente do perímetro, César Rocha; o engenheiro agrônomo consultor da Cohidro, Sandro Dias; o gerente Comercial, Ricardo Pereira; e a vereadora Ivoni Andrade, como representante das comunidades inseridas na Ribeira. Ela avaliou positivamente o resultado conquistado pelos irrigantes na reunião.
“Tivemos uma quantidade expressiva de irrigantes presentes. Paulo Sobral ouviu atentamente, por povoado, cada situação existente, e com certeza quais solucionar. Ele já deu algumas ideias, já vem trabalhando muito e o pessoal saiu satisfeito. Isso é muito bom. Ter uma equipe que realmente se preocupa com as demandas dos produtores, pois nós sabemos que irrigantes e Cohidro têm que ser parceiros, para que caminhem satisfatoriamente”, avaliou a vereadora.

Atualizado em