CANINDÉ | Agricultores irrigantes escoam produção a preço fixo para o Programa de Aquisição de Alimentos

Cohidro acompanha entregas em três perímetros, que devem ultrapassar 100 T até 2021
Ozeias Beserra recebe Cohidro e CREAS em sua associação [Foto: Fernando Augusto]
Para o agricultor familiar, que produz em pequena escala e não tem facilidade logística para chegar aos mercados consumidores, o grande gargalo é escoar a produção e, com isso, gerar renda para a família. Com o uso de irrigação, que demanda maior investimento para produzir, o retorno financeiro costuma ser menor, se depender somente dos preços ofertados pelos atravessadores. Para 14 membros da Associação dos Agricultores de Canindé de São Francisco (ASSAI), irrigantes do Perímetro Irrigado Califórnia, desde julho essa dificuldade vem sendo superada. Eles passaram a entregar alimentos através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade ‘compra com doação simultânea’, por um preço fixo e considerado justo, sem a variação de mercado. O projeto-proposta do grupo foi escolhido depois de disputar, em um sistema ranqueamento feito pela Conab [Companhia Nacional de Abastecimento], com propostas de todo o estado.

“Nós estamos na quarta entrega e o pessoal está satisfeito, porque entregamos os produtos por um preço justo. A outra linha que temos de vendas (as feiras livres) parou um pouco por conta da pandemia e alguns produtores estavam perdendo seus cultivos”, conta o presidente da ASSAI, Ozeias Beserra. Nesta quinta-feira (15), foram entregues mais 2.246 quilos de alimentos pelos produtores do perímetro irrigado administrado pela Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro). Ao longo de nove meses, as entregas somarão 39.429 kg, posteriormente doados a 1.580 pessoas em situação de vulnerabilidade social e risco alimentar cadastradas pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Canindé. “O CREAS tem recebido bem os alimentos, por estarem atendendo um público que realmente precisa. Muitos perderam o emprego ou não conseguem trabalhar, e o alimento chega em uma boa hora”, considera Ozeias. Os agricultores da ASSAI serão remunerados, até o final do projeto, em R$ 111.997,60.

A Cohidro, vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), fornece a irrigação para estes produtores, ao mesmo tempo em que presta assistência técnica agrícola e assessoramento para participação nos programas de compra da produção rural, como o PAA. Segundo o diretor-presidente da empresa pública, Paulo Sobral, esse incentivo a mais, dado pelo Governo do Estado, está disponível para todo grupo de irrigante disposto a organizar a sua produção para uma entrega contínua de alimentos. “Contamos com um especialista na área de Agronegócios, o Sandro Prata, que desde 2008, acompanha esses irrigantes que conseguem se mobilizar, organizar suas documentações e participar destes projetos. Esses agroempreendedores já produziram e comercializaram, em nossos perímetros irrigados, 4 mil toneladas de alimentos doados, sendo remunerados em mais de R$ 13 milhões e beneficiando mais de 145 mil pessoas”, informou.

Diretor de Irrigação da Cohidro, João Fonseca revela que, na edição 2020 do PAA, três perímetros administrados pela Companhia fornecem alimentos para doação. “Além da ASSAI de Canindé, temos o Movimento Associativista (do Povoado Brejo) no perímetro Piauí, em Lagarto; e a Associação (dos Produtores Rurais da Comunidade) Lagoa do Forno, no perímetro da Ribeira, em Itabaiana. Até 2021, mais de 100 toneladas de alimentos serão entregues por 41 irrigantes, remunerados em quase R$ 330 mil, para mais de 5 mil beneficiários”, listou o diretor. Pedro Feitosa produz há 12 anos no perímetro irrigado, e entrega pela primeira vez abóbora, acerola e pimentão para o PAA. Ele considera o programa de fundamental importância, por fomentar a geração de renda do agricultor familiar e ajudar as pessoas em situação de vulnerabilidade.

“O produtor consegue agregar um preço melhor à sua mercadoria, em virtude do valor ser mais acessível comparado ao que repassamos aos atravessadores. Por outro lado, vejo também o grande alcance social em relação às pessoas que estão recebendo esses produtos a custo zero, através do poder público, programas e associações”, analisa o agricultor Pedro Feitosa. O também irrigante do Califórnia, João Aureliano, hoje participa como fornecedor do PAA e afirma que o projeto beneficia a todos da região. “Estávamos precisando. Ficamos um tempo parados por conta da pandemia e, agora, começou para ajudar tanto o pessoal mais necessitado da cidade, quanto o produtor. Hoje foi só acerola, mas vou fornecer também macaxeira, abobrinha e abóbora”, explica. Irrigantes também vinculados à Cooperativa de Fomento e Comercialização do Perímetro Irrigado Califórnia (Coofrucal) têm fornecido alimentos ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), em Canindé.

Atualizado em