Cohidro completa 37 anos levando água e irrigação para comunidades rurais sergipanas

Companhia aproxima-se dos 4.000 poços perfurados e perímetros irrigados geram renda para 14 mil sergipanos
[Foto: Fernando Augusto]
Nesta segunda-feira, 13 de abril, a principal executora de obras de exploração de água subterrâneas no setor público de Sergipe completa 37 anos. A Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe – Cohidro foi criada em 1983 pelo Governo do Estado e, hoje, é a responsável por levar água à 1.450 lotes da agricultura familiar e 31 empresariais. Nessas unidades produtivas, a irrigação permite, em média, uma produção anual de 100 mil toneladas de alimentos. Através da perfuração de poços, sistemas de abastecimento, surgimento dos perímetros irrigados e Assistência Técnica e Extensão Rural – ATER, pequenos agricultores sergipanos passaram a ter acesso a recursos e tecnologias que antes só eram possíveis a partir de grandes investimentos particulares.

Os poços, perfurados em comunidades que não possuem outro meio de acesso à água, rendeu ao Estado um prêmio do Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef, por produzir modificações saudáveis nos hábitos higiênicos e sanitários das famílias atendidas por esses sistemas. A Cohidro administra seis perímetros irrigados, estrategicamente instalados para explorar os recursos hídricos provenientes do barramento de rios perenes. Estas águas nascem em Sergipe e em outros estados, abastecem as redes de adutoras, passam por canais e Estações de Bombeamento [EBs] até, finalmente, chegar aos lotes de produção agrícola. Infraestrutura que permanece ativa e, atualmente, recebe investimentos estaduais, federais, internacionais e até dos beneficiários, através da conversão das tarifas de água pagas pelos produtores rurais e que são destinadas para obras de manutenção do próprio sistema.

O presidente da Cohidro, Paulo Sobral, destaca que toda essa infraestrutura passou a ser regida, na atual gestão do Estado, por normas e investimentos que priorizam a sustentabilidade. “Só nos três perímetros irrigados abastecidos pela Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe [Poção da Ribeira, Jacarecica I e II], foram investidos mais de R$ 50 milhões pelo Programa Águas de Sergipe (PAS), cofinanciado pelo Estado e o Banco Mundial. São interferências que priorizam a sustentabilidade econômica, como a troca de todos os sistemas de irrigação para um modelo fixo, automático, que consome menos água e que, por sua vez, economiza energia elétrica e mão de obra operacional. Economizando água, as reservas duram mais. O PAS investe ainda em reflorestamento, tratamento de esgoto urbano e racionalização do uso dos agrotóxicos, para que os mananciais e os ecossistemas neles envolvidos sejam preservados”, pontua Paulo Sobral.

O Programa Águas de Sergipe (PAS) tem possibilitado grandes transformações na infraestrutura da Cohidro, ressalta o diretor de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da Cohidro, João Fonseca. “Atualmente, as três barragens dos perímetros recebem obras de recuperação estrutural, priorizando a conservação e a segurança hídrica e operacional. Toda a estrutura dos prédios, de tecnologia de informação e logística para atender ao irrigante, foi renovada com reformas e compra de equipamentos e novos veículos. O Águas de Sergipe proporciona, aos três perímetros irrigados que atendem Itabaiana, Areia Branca, Malhador e Riachuelo, um investimento somente comparado ao da época das suas construções”, considerou.

A junção da mão de obra da empresa e os recursos dos próprios agricultores direcionam os perímetros para uma maior autonomia ao Governo do Estado, considera o diretor Administrativo e Financeiro da Cohidro, Jean Nascimento. “Com a renda obtida no pagamento da tarifa d´água paga pelos irrigantes, pudemos reformar as EBs 03, 06 e 04 do perímetro Califórnia, em Canindé de São Francisco, com recuperação da área de bombas, construção de coberturas, troca de fiações, pisos, portas, retelhamento e pintura, incluindo alojamento e banheiros para os operadores de bomba. Reforma semelhante se deu na EB 02 do perímetro Piauí, em Lagarto. Outro exemplo se deu no perímetro Jabiberi, em Tobias Barreto, onde a máquina com operador da Cohidro escavou 62 novos reservatórios com insumos pagos pelos produtores”.

Instalação e recuperação de poços
A instalação de novos poços e a recuperação de estruturas de captação de água em poços já perfurados é a prioridade atual da Infraestrutura e Mecanização Agrícola da Cohidro, segundo o diretor do setor, Carlos Viana. “Para a aquisição de equipamentos, são investidos recursos próprios ou provenientes de convênio com a Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social [SEIAS]. Somente do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza – Funcep, da SEIAS, foram mais de R$ 1 milhão para aquisição de 170 motobombas submersas com painel elétrico, 110 reservatórios, mais de 25 mil itens de conexões e 12.600 metros de tubos em PVC. Estamos dando continuidade ao que consagrou Sergipe com o prêmio Unicef, ao produzir modificações saudáveis nos hábitos higiênicos e sanitários das famílias sergipanas atendidas por esses sistemas”.

Atualizado em