No Fórum Permanente da Agricultura Sergipana Cohidro propõe integração irrigado-sequeiro

Perímetros irrigados têm condições de aumentar oferta de material forrageiro para a pecuária leiteira.
Foto Vanessa Passos

Na última terça-feira (26), aconteceu mais um encontro do Fórum Permanente da Agricultura Sergipana, recepcionado, em sua quarta edição, pelo Sistema Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR e pela Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe – FAESE. O Fórum é uma importante instância de debate criada pelo governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Agricultura – SEAGRI, reunindo um total de 33 instituições públicas e da sociedade civil organizada, em torno do interesse comum de propor soluções para os gargalos das mais diversas cadeias produtivas da agropecuária sergipana.

Presidida pelo secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, a reunião foi aberta pela exposição dos entes públicos estaduais, quanto às suas contribuições para o desenvolvimento da agropecuária sergipana. “Foi mais um dia produtivo, onde expusemos as atividades que vêm sendo desenvolvidas pela Seagri e, da mesma forma, a Emdagro e a Cohidro, com foco principal no ano em exercício. Falamos sobre assistência técnica rural, sobre o trabalho desenvolvido nos perímetros irrigados, ações de defesa animal e vegetal, regularização fundiária, e sobre as parcerias iniciadas em 2019 – incluindo os termos de cooperação que foram firmados. Também falamos sobre a emenda de bancada e os recursos de cerca de R$ 17 milhões que serão destacados pelos parlamentares sergipanos para a nossa agricultura”, comentou André.

Diretor de irrigação, João Fonseca apresentou ações e propostas da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação – Cohidro. “Nos perímetros, disponibilizamos o benefício direto do fornecimento de água para irrigação, ATER e a assessoria em Agronegócio. Uma proposta nossa ao fórum é a de integrar a agricultura irrigada com a do sequeiro e outros setores. Os perímetros têm condições de fornecer, tanto frutas para pequenas agroindústrias, como também – e principalmente no Alto Sertão – a alimentação animal para a bacia leiteira de Sergipe, como a silagem de milho, de sorgo e feno. São unidades produtivas que podem ser contratadas por pecuaristas para produzir, em qualquer época do ano, esses insumos, muitas vezes escassos a esse produtor”, destaca.

Entre as muitas ações expostas pela Emdagro, o presidente Jefferson Feitoza destacou a importância das ações de defesa animal realizadas pelos técnicos da empresa para o futuro econômico do Estado. “Sergipe foi decisivo na criação de uma verdadeira barreira sanitária que protegeu o Estado da entrada do foco de peste suína clássica identificado em Alagoas. Como se trabalha em blocos, o bloco que começa em Sergipe, termina no Rio Grande do Sul. Sergipe ter conseguido fazer esse controle significou que outros estados do Brasil possam continuar vendendo a sua carne”, disse Jefferson, que também afirmou que a segunda fase da campanha contra a febre aftosa vem conscientizando os produtores sobre as possibilidades positivas trazidas pela certificação de zona livre sem vacinação em 2021 – meta perseguida pela Emdagro.
O debate também girou em torno da ampliação de Assistência Técnica Rural – ATER no estado. O Senar atua há dois anos oferecendo o Assistência Técnica e Gerencial – ATeG e, neste ano, tem como meta atingir 700 beneficiados, como informou o representante da instituição, Célio Pereira. Para ele, o fórum é uma oportunidade para as instituições identificarem como contribuir com o Governo do Estado no desenvolvimento da agricultura. “Nessa parceria com a Seagri, os produtores só têm a ganhar e, para nós, é um honra muito grande abrigar o fórum com tantas entidades”, assinalou. Também estiveram presentes na reunião, representantes do Banese e do BNB, da Embrapa, da Superintendência Federal da Agricultura, da Conab, da Universidade Federal de Sergipe; das associações sergipanas dos Engenheiros Agrônomos – AEASE, dos Armadores de Pesca Artesanal – ASEAPA e dos Plantadores de Cana – Asplana; da Organização de Cooperativas – OCESE e da Federação da Indústria – FIES do estado de Sergipe.

Itinerante, o fórum terá sua próxima reunião sediada na Embrapa Tabuleiros Costeiros, pré-agendada para fevereiro de 2020, com foco na discussão sobre o Proagro [Programa de Garantia da Atividade Agropecuária]. A Embrapa deverá apresentar um relatório, que será entregue aos agentes financeiros, para que se discuta a possibilidade do financiamento de produções consorciadas [hoje engloba apenas culturas isoladas].

Atualizado em