Barragens de Sergipe continuam seguras, apontam técnicos que monitoram a segurança dos reservatórios

Em reunião de segurança de barragens, relatórios apontam que o monitoramento constante garante a seguridade das barragens do Estado
Fotos: ASN

A equipe técnica que monitora todos os reservatórios de água de Sergipe, geridos pelo Governo do Estado, se reuniu na quarta-feira (24) para mostrar a situação das barragens. O Secretário da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade – Sedurbs, Ubirajara Barreto, recebeu o resultado de todos as visitas preventivas feitas pela equipe de monitoramento.

“Nossas barragens não apresentam risco de rompimentos e isso se dá pelo trabalho que o Governo vem realizando periodicamente de monitoramento e ações preventivas. Esse trabalho é continuo e fundamental, não apenas no período de fortes chuvas”, explica o secretário Ubirajara Barreto, durante reunião de segurança das barragens ocorrida na sede Sedurbs.

Sãos seis barragens geridas pelo Estado, por meio da Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso [Jaime Umbelino de Souza, no rio Poxim], e da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe – Cohidro [perímetros irrigados Piauí, Jabiberi, da Ribeira, Jacarecica I e II]. As barragens localizadas em Sergipe armazenam somente água para consumo humano, animal e irrigação.

Segundo o secretário da Sedurbs, ficou definido que o monitoramento de todas as barragens do Estado continua a ser feito rotineiramente para avaliar a situação e possíveis riscos. “Existe uma equipe contratada pelo ‘Programa Águas de Sergipe‘ [PAS] para fazer o monitoramento de todas essas barragens do Estado. Nessa reunião de hoje, ficou definido que, independentemente dessa equipe, haverá um entrosamento entre os técnicos da Cohidro e Deso para realizarem juntos uma avaliação constantemente, tanto da parte de risco físico, quanto do todo”, relatou.

O secretário ressalta ainda que não há no momento nenhum risco de rompimento. “Dentro dos estudos podemos ressaltar isso, e inclusive, temos um acompanhamento, e é elaborado um plano a cada cinco anos das barragens de médio risco, e as de baixo risco a cada dez anos. Esses planos garantem mais eficácia e mais eficiência no monitoramento” conclui.

Participaram da reunião ainda, o diretor-presidente da Deso, Carlos Melo e o seu diretor de Meio Ambiente e Engenharia, Gabriel Campos; o diretor-presidente Cohidro, Paulo Sobral e o seu assessor técnico, Eduardo Salustin; o superintendente Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente [Serhma], Ailton Rocha e o técnico da Serhma, José Carlos Santos; além dos técnicos da Administração Estadual do Meio Ambiente – Adema,  Everton Teixeira e Gustavo Nunes de Araújo.

Monitoramento
Nessas barragens atuam, desde 2014, os especialistas que formam o Painel de Segurança de Barragens, contratados pelo PAS, encaminhando ações preventivas. O programa é financiado com recursos do Banco Mundial e constituído por quatro consultores nas especialidades: Hidrologia, Geotécnica, Hidráulica e Concreto. Os trabalhos do corpo técnico tiveram início em 10 de novembro de 2014, data da chegada dos especialistas a Sergipe, e corresponde a um investimento contabilizado em R$ 1.132.000,00 e, além disso, os técnicos da Cohidro e da Deso também fazem monitoramento constante.

“Desde 2014, o governo de Sergipe, por meio do Programa Águas de Sergipe, contratou especialistas que elaboraram um painel de segurança nas barragens. Eles vistoriaram todas as barragens de Sergipe que elaboram uma matriz de riscos e ações de curto, médio e longo prazo”, pontua Carlos Melo.

Inspeção de segurança nas barragens
Durante o último período de fortes chuvas registrados no mês de julho em Sergipe, a equipe de governo monitorou in loco e realizou inspeção nas barragens com técnicos capacitados para verificar a segurança de retenção de águas, pois, os seis reservatórios que banham oito municípios, distribuídos em três microrregiões do estado estavam todos cheios, após uma semana inteira de intensas chuvas. Foram constatados pelos técnicos, durante as inspeções, que apesar do volume de água ser alto, as barragens não apresentaram nenhum risco em sua estabilidade estrutural.

 

Fonte: Agência Sergipe de Notícias

Atualizado em