Missão do Banco Mundial para o PAS se reúne com Governador e órgãos estaduais

postado em: Cohidro, Programa Águas de Sergipe | 0
Fotos: Jorge Henrique/ASN

Em reunião entre o governador Jackson Barreto e o Banco Mundial nesta terça-feira, 09, foi informado que o município de Itabaiana iniciará, em breve, os trabalhos da segunda etapa da obra de saneamento básico, que compreende intervenções de esgotamento sanitário e macrodrenagem no centro da cidade. A novidade foi anunciada em meio a conversa do governador com membros da missão do Banco, que veio ao estado para realizar um balanço das últimas ações implementadas pelo programa Águas de Sergipe. A segunda etapa da obra de Itabaiana é um investimento de R$ 45 milhões e, dentre outros objetivos, vai possibilitar que a população deixe de sofrer com as consequências das enchentes, acabando, assim, com prejuízos de ordem financeira e de saúde pública.

Em reunião entre o governador Jackson Barreto e o Banco Mundial nesta terça-feira, 09, foi informado que o município de Itabaiana iniciará, em breve, os trabalhos da segunda etapa da obra de saneamento básico, que compreende intervenções de esgotamento sanitário e macrodrenagem no centro da cidade. A novidade foi anunciada em meio a conversa do governador com membros da missão do Banco, que veio ao estado para realizar um balanço das últimas ações implementadas pelo programa Águas de Sergipe. A segunda etapa da obra de Itabaiana é um investimento de R$ 45 milhões e, dentre outros objetivos, vai possibilitar que a população deixe de sofrer com as consequências das enchentes, acabando, assim, com prejuízos de ordem financeira e de saúde pública.

Em reunião entre o governador Jackson Barreto e o Banco Mundial nesta terça-feira, 09, foi informado que o município de Itabaiana iniciará, em breve, os trabalhos da segunda etapa da obra de saneamento básico, que compreende intervenções de esgotamento sanitário e macrodrenagem no centro da cidade. A novidade foi anunciada em meio a conversa do governador com membros da missão do Banco, que veio ao estado para realizar um balanço das últimas ações implementadas pelo programa Águas de Sergipe. A segunda etapa da obra de Itabaiana é um investimento de R$ 45 milhões e, dentre outros objetivos, vai possibilitar que a população deixe de sofrer com as consequências das enchentes, acabando, assim, com prejuízos de ordem financeira e de saúde pública.

De acordo com o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Olivier Chagas, que também acompanhou a reunião, nos próximos dias começará o processo licitatório da última etapa da intervenção de saneamento básico de Itabaiana. “Já recebemos autorização do banco para que possamos lançar o edital e, através dele, possamos contratar a empresa que vai executar essa obra, que é muito importante a aguardada pelo povo da cidade”, complementou.

O governador Jackson Barreto destacou que as obras de saneamento vão proporcionar um grande benefício para os moradores. “Vai começar a obra de macrodrenagem de Itabaiana e as pessoas muitas vezes se sentem chateadas com o desconforto que uma intervenção dessas ocasiona, pois vai abrir 7 km de ruas no centro de Itabaiana. Uma obra, quando é enterrada, as pessoas não valorizam. Mas essa é uma intervenção de maior importância para a vida da população e para melhorar a qualidade de vida de quem mora no município, pois todo os anos as enchentes causam um desconforto na vida dos moradores. Além dessa obra, estamos fazendo obra de esgotamento junto ao Açude da Marcela, que é um investimento da ordem de R$ 25 milhões. Com isso, Itabaiana também passará a ter um sistema de esgotamento sanitário mais perfeito”, ressaltou Jackson, acrescentando que essa última intervenção vai proporcionar que o Açude seja despoluído.

A obra de saneamento de Nossa Senhora das Dores também foi citada na reunião com o Banco Mundial. Segundo a especialista sênior em recursos hídricos do Banco Mundial, Paula Freitas, o sistema de esgoto deve ser concluído nos próximos quatro ou cinco meses.

Para o governador, o destaque dessa obra em Dores é a preservação da nascente do rio Sergipe. “Além de Itabaiana, temos o caso de Nossa Senhora das Dores, que está servindo como projeto piloto/modelo para o estado, pois estamos fazendo ali uma estação de tratamento e esgotamento sanitário e ligações em seis mil residências. Isso significa uma revolução dentro do município. Essa obra é um investimento de R$ 23 milhões”, pontuou o governador.

O secretário Olivier Chagas explica que o governador está preocupado que as obras de saneamento causem o menor impacto possível na vida da população. “Jackson quer que a gente esclareça à população sobre as obras e a deixe a par do que será feito, pois, dessa maneira, teremos a sociedade esclarecida e como nossa parceira. Ela vai saber que a obra é um incômodo, mas que trará um benefício bem maior no futuro”.

Para além das obras de saneamento, a reunião desta segunda também foi importante para anunciar outra novidade: a chegada de recursos em Sergipe, via Banco Mundial, para serem empregados na área da saúde. Olivier Chagas conta que são R$ 25 milhões para investir principalmente na área de combate às questões do vírus da Zika. “Estamos estruturando nossos hospitais para que possam oferecer um atendimento especial àquelas pessoas que tiveram problemas com a Microcefalia. O Estado, dessa forma, está demonstrando sua sensibilidade”, comentou.

Missão do Banco
Para a representante do Banco Mundial, Paula Freitas, a vinda da missão para Sergipe e a reunião com o governador foram proveitosas. “Ficamos muito satisfeitos. O governador é muito consciente das obras. Ele tem um conhecimento bem próximo de tudo o que está sendo feito e tem uma lembrança muito grande de outros momentos em que ele esteve envolvido nessas discussões. Ou seja, o apoio do Governo do Estado ao projeto é muito grande e relevante para que consigamos, de fato, ter bons resultados”, relatou.

Paula conta que o programa Águas de Sergipe está avançando bem e que de tempos em tempos o banco vem ao estado para realizar um acompanhamento das obras. “E hoje tratamos sobre vários assuntos com o governador, principalmente, dando a ele ciência do andamento e da proximidade de conclusão de algumas obras. Conversamos também sobre outras ações relacionadas à gestão de recursos hídricos do estado, a importância de te rum planejamento de recursos hídricos adequado para lidar com situações de escassez, e outras iniciativas que estão envolvidas dentro do projeto, como um apoio a alguns perímetros irrigados que estão sob responsabilidade da Cohidro”, esclareceu.

O governador Jackson Barreto falou sobre a satisfação do Banco Mundial com relação ao andamento das ações em Sergipe e registrou que acredita que as intervenções no estado tiveram um impulso muito grande a partir da presença de Olivier como secretário de Meio Ambiente.

Sobre as ações do Águas de Sergipe, Olivier Chagas afirmou que são 80 intervenções dentro da bacia do rio Sergipe, dentre elas estão as obras de revitalização dos perímetros irrigados Jacarecica I e II e o da Ribeira. “Temos ainda obras de reflorestamento em toda a bacia do rio, além de ações de Educação Ambiental e parcerias com a Emdagro e Cohidro para buscar reestruturar esses órgãos que são fundamentais para poder prestar uma boa assistência em nossa Agricultura e Pecuária”, concluiu.

Águas de Sergipe
O Banco Mundial investe em Sergipe US$ 70 milhões, o equivalente a R$ 220 milhões, e o Estado já cumpriu sua contrapartida de R$ 112 milhões. O programa resulta de contrato firmado entre Governo do Estado e Banco Mundial e a iniciativa tem como finalidade a melhoria da qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe. A coordenação é da Semarh e fazem parte Deso, Cohidro e Emdagro.

 

Fonte: Agência Sergipe de Notícias

 

Salvaguardas do PAS

A Companhia de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) reuniu-se na manhã do mesmo dia, na Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH), juntamente com a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) e a missão do Banco Mundial, para tratar da “revisão das salvaguardas” do Programa Águas de Sergipe (PAS).

Representaram a Cohidro, o diretor de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola, João Quintiliano da Fonseca Neto e a Gerente Geral dos Perímetros Irrigados, Maria Lúcia Ferraz. Representavam o Banco, os consultores Agnes Veloso, da área ambiental e Alberto Costa, da área social.

Cohidro desenvolve convênio com o Banco Mundial no PAS, que no Estado é gerido pela SEMARH e a Companhia contará com recursos na ordem de R$ 43 milhões para investir nos seus polos irrigados. “São R$ 33 milhões para modernização da irrigação nos perímetros da Ribeira e do Jacarecica I (Itabaiana e Areia Branca), onde o sistema vai ser todo automatizado e de funcionamento noturno, economizando tanto água quanto energia elétrica. Nesses, e também no Perímetro Jacarecica II (Riachuelo, Malhador e Areia Branca), haverá ainda investimentos na segurança e adequações ambientais nas barragens. Os outros R$ 10 milhões compreendem investimentos em conjunto com os outros órgãos e secretarias de Estado”, adianta João Fonseca.

Fonte: Ascom/Cohidro

 

Atualizado em