A Cohidro participa do projeto “Integração e avaliação de culturas alternativas para as áreas do Semiárido Brasileiro”, desenvolvido pela Embrapa/Semiárido, prestando  assistência técnica aos agricultores do Perímetro Irrigado Piauí, em Lagarto, que participam desse projeto. As suas áreas irrigadas são Unidades demonstrativas de espécies frutíferas, antes somente produzidas em clima temperado, exóticas à região de Lagarto, como: Caqui, Pera e Maçã.

Petrolina no Semiárido pernambucano é hoje um pólo produtor destas espécies frutíferas que tem se destacado bastante na região do Vale do S. Francisco.

O Perímetro Irrigado Piauí foi escolhido para esse experimento devido às condições geoclimáticas, verão prolongado em determinada época do ano, aliado a oferta contínua de água através da tecnologia da irrigação.

As primeiras 1.500 mudas de caqui foram plantadas em agosto de 2013. Nos dois meses seguintes foram plantadas 2.000 mudas de pera e 2.000 mudas de maçã. Este total de 7.500 mudas foram implantadas em sete campos experimentais (lotes de agricultores familiares). As plantas já iniciaram sua primeira florada e aparecimento dos primeiros frutos. As variedades adaptadas ao clima semi-árido, são precoces e atingirão o ápice da produção aos 4 anos de idade, bem antes das mudas convencionais plantadas no Sul e Sudeste que atingem a maturação aos 8 anos.

Esse projeto faz parte de um convênio firmado entre, Embrapa, Codevasf, Banco do Nordeste e Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), órgãos que financiaram o projeto. Os experimentos foram realizados em áreas da Cohidro e Codevasf.

William Domingos Silva é o técnico agrícola responsável pela prestação dos serviços de assistência técnica a esses novos fruticultores do Perímetro Piauí.  Em 2012, ele e os agricultores que fazem parte do projeto, visitaram as áreas produtoras em Petrolina-PE, onde o experimento teve inicio em 2008. Lá os agricultores e técnico sergipanos puderam conhecer as culturas que estão em plena produção, reconhecendo o sucesso do projeto implantado e acompanhado pelos pesquisadores da Embrapa/Semiárido. Nesta visita eles passaram por um processo de capacitação que se renova à cada visita que os técnicos da Embrapa fazem ao P. Piauí.

Esse projeto teve acompanhamento até 2015, quando completou 2 anos de implantação.