A partir do termo de cooperação técnica, firmado em 2012 entre as secretarias de Estado Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh) e da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (Seagri), o governo de Sergipe deu início, através da Cohidro, ao Programa de Recuperação  Barragens, que faz parte do Plano de Combate à Seca no Estado e prioriza a dessedentação animal, além de atender as necessidades básicas residenciais, em pequenas propriedades rurais que possuem barragens para o acúmulo da água da chuva.

O projeto, custeado pelo Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep), tem a Cohidro como órgão executor, a qual faz o planejamento – junto às prefeituras municipais –, para e escolha das propriedades rurais a serem beneficiadas com as obras, é também dela a função de fiscalizar a realização dos trabalhos de engenharia, finalizando com o levantamento georeferencial das barragens beneficiadas. Os municípios atendidos pelo Programa fazem parte da lista de localidades, as quais foram decretadas em “estado de emergência”, devido à falta de chuvas.

São atendidos pequenos produtores rurais que possuem a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e que são cadastrados no Núcleo de Identificação Social (NIS), do programa federal Bolsa Família. Também é critério de classificação como pequena propriedade rural, no caso de pecuaristas, os cadastrados não possuírem mais do que 19 cabeças de gado. Os proprietários das barragens também assinam um termo concordando em disponibilizar a água deste reservatório para ser dividida com os seus vizinhos, caso seja necessária essa assistência, devido aos danos provocados pelo período de estiagem.

Até o final de 2013, 1.736 pequenas barragens rurais, com capacidade de armazenamento de até 20.000 m³, tinham sido recuperadas, além de 5 grandes barragens públicas que atendem a povoados.  A ampliação e recuperação destes tanques de terra proporcionou um armazenamento de aproximadamente 6,5 milhões m³ de água, beneficiando uma população aproximada de 245 mil pessoas do campo. Nos dois anos, foram investidos R$ 1.710.112,20 de recursos do Governo do Estado no programa.