A agricultura orgânica consiste na produção de alimentos sem o uso de agentes químicos que possam influenciar na composição natural desses produtos. Em suma, reúne o modelo de cultivo praticado antes do advento dos agrotóxicos, acrescido de novas técnicas oriundas da pesquisa científica.

A Cohidro, nos perímetros irrigados, vem incentivando e dando suporte técnico aos agricultores familiares interessados na prática da agricultura orgânica.

É cada vez mais crescente o número de consumidores que aderem aos hábitos alimentares saudáveis, que tem como principal meta o consumo de alimentos naturais, o que abre espaço e cria demanda para os produtos orgânicos, tornando um mercado bastante lucrativo para quem produz esses alimentos. Por outro lado, o agricultor que utiliza esse modelo de produção, adere também a novos métodos de consumo saudáveis e se livram dos riscos de contaminação e contribui para preservação e proteção do meio ambiente.

Mas abolir o uso dos insumos químicos nas áreas produtivas exige do agricultor a adoção de métodos alternativos, que envolvem todo o processo de produção, desde o preparo do solo até a pós-colheita, com ênfase no controle de pragas e doenças nos cultivos. Todo esse processo demanda um acompanhamento técnico contínuo e maior dedicação dos próprios agricultores. Desta forma, a atenção dos profissionais da Cohidro para com estes produtores é sempre maior, seja para oferecer o suporte necessário, como também na fiscalização daquilo que vem sendo feito nas áreas orgânicas.

OCS
Também é papel da Cohidro, a inserção desses agricultores em uma Organização de Controle Social (OCS). Na OCS, os próprios agricultores orgânicos fiscalizam uns aos outros quanto a veracidade dos métodos empregados na produção. Após o cumprimento de todas as exigências legais, cabe ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a emissão de uma declaração que dá ao agricultor o direito de comercializar sua produção sob a designação de “produto orgânico”. Com esse documento é possível vender diretamente ao consumidor em feiras livres, em feira da Agricultura Familiar e nos programas governamentais: PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) e PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), onde o produto orgânico recebe acréscimo de 30% no seu valor em relação ao convencional.

 

Cartilha educativa
Principal incentivadora do cultivo orgânico, a gerente de Desenvolvimento Agropecuário da Cohidro, Sônia Loureiro, elaborou a cartilha educativa intitulada “Produtos Alternativos para o Controle de Pragas e Doenças na Agricultura”. No livreto, totalmente ilustrado, a Engenheira agrônoma propõe métodos sustentáveis de produção orgânica como receitas caseiras de produtos naturais, compostagem orgânica, cobertura morta e adubação verde, entre outras.

Em 2011, através da parceria com o Sebrae, Detran e Ministério Público do Trabalho, a Cohidro lançou a cartilha que se tornou um importante instrumento de estímulo as agricultores orgânicos dos perímetros que tinham uma carência de informações nessa área. . Essa publicação se tornou referência para os interessados em produzir orgânicos, sendo distribuídas aos Órgãos governamentais e não governamentais que trabalham com Agricultura Familiar.