Governo investiu R$ 4,8mi para prover água a 166 mil pessoas em 2017

Sistema de abastecimento do ‘Água para Todos’ em Indiaroba – Foto Fernando Augusto (Ascom/Cohidro)

As ações da Diretoria de Infraestrutura e Mecanização Agrícola (Dinfra) da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e irrigação de Sergipe (Cohidro) são voltadas à captação de água subterrânea e da chuva, a partir de barragens e cisternas. Pelo trabalho de suas cinco equipes de perfuração, em 2017, foram perfurados 112 novos poços. Um investimento, na aquisição de materiais e insumos, de R$ 1.712.968,14, beneficiando diretamente 37.521 pessoas nas localidades assistidas. Em toda sua história, a empresa já perfurou 3.791 poços, sendo que 95% destas ações foram direcionadas aos moradores da zona rural, visando à estabilidade do homem no campo.

Neste mesmo ano, foram investidos outros R$ 2.487.019,70 para a Cohidro implantar 40 novos sistemas de abastecimento de água obtida de poços tubulares, beneficiando 42 localidades rurais onde vivem 15.290 pessoas. Em outras 214 interferências das equipes de instalação, recuperação e manutenção de poços da Cohidro, foi mantido o fornecimento de água para 67.500 pessoas, a partir do investimento de R$ 247.347,80, em atendimento e peças de reposição. Serviços de limpeza e teste de vazão foram realizados em poços perfurados pela Cohidro, novos e antigos, beneficiando 23.770 pessoas, onde foram investidos mais R$ 341.462,47, em suprimentos para as duas equipes da Cohidro na função.

Segundo o titular da Dinfra, Paulo Henrique Machado Sobral, são ações continuadas e de diferentes equipes. “A implantação do sistema simplificado de abastecimento de água inicia-se com a visita de um geólogo in loco para realizar a avaliação geológica e locação do poço. Após a demarcação da área é indicada a sonda apta a perfurar a região analisada, sendo essa enviada a campo para executar a perfuração. Após a conclusão da etapa anterior, e com poço produtor, é enviada a equipe de bombeamento para realizar a limpeza do poço e aferir a capacidade de produção do mesmo. Sendo as avaliações de vazão e qualidade de água positivas, haverá a instalação de bombas e implantação da estrutura de armazenamento e distribuição da água. Em casos específicos, há ainda a instalação de dessalinizadores”, ilustrou o diretor.

Em Simão Dias, no Assentamento Maria Bonita, há um poço perfurado pela Cohidro capaz de fornecer 12.100 litros de água por hora, vazão considerada bastante produtiva. Nele, a empresa instalou a bomba, a tubulação que leva água até um reservatório de 10.000 litros, que é suspenso por estrutura de concreto de 6 metros e que segue até as residências, totalizando 1.276m de rede subterrânea de água. Um investimento de R$ 100.000, oriundos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep), obtidos via convênio com a Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão, Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh). Esse sistema, que beneficia 69 famílias, foi inaugurado pelo governador Jackson Barreto, em 31 de outubro de 2017.

“O governo do Estado está fazendo um investimento de quase R$ 6 milhões em Simão Dias. Nosso sentimento é de muita alegria, de dever cumprido, em poder atender a população de Simão Dias. Como governador de Estado, nunca tivemos tantos investimentos anunciados de uma só vez nesse município”, declarou Jackson Barreto, no dia da inauguração no Maria Bonita, quando também foram entregues galpão, equipamentos, insumos e regularização fundiária para famílias de agricultores; foi inaugurado o novo escritório da Deso e ainda assinado as ordens de serviço para pavimentação e drenagem de vias urbanas e os contratos de investimento pelo Programa Dom Távora.

 

Combate à seca

No atendimento às comunidades rurais, que são providas pela água da chuva em barragens comunitárias escavadas e de uso múltiplo, em 2017 foi realizado trabalho preventivo de limpeza em 13 unidades, retirando o excesso de lama e ampliando a capacidade. Estas aguadas são utilizadas principalmente no período da seca, para dessedentação animal e no último período de chuva acumularam muito mais água, para atender povoações que vivem da pecuária em Canindé de São Francisco, Carira, Cedro de São João, Frei Paulo, Gararu, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora de Lourdes, Poço redondo, Poço Verde, Porto da Folha, Tobias Barreto e que somam 22.240 pessoas.

José Sandro dos Santos é presidente da Associação Quilombola Manoel Rozendo da Guia, que congrega os produtores rurais da comunidade tradicional da Serra da Guia, em Poço Redondo. Ele relata que depois que o reservatório recuperado pela Cohidro ficou cheio, a água acumulada poderá durar até dois anos, principalmente por que ali não é permitida a captação da água que não seja para o uso da própria comunidade. “Essa obra da barragem chegou em uma boa ora, graças a Deus! A barragem existe há mais de 30 anos e usamos a água tanto para dar ao gado como para a lavagem de roupas”, relata.

O resultado do programa foi positivo, o que foi constatado antes mesmo de uma nova seca começar, comemora o diretor-presidente da Cohidro, José Carlos Felizola. “Uma seca das mais severas da história foi, graças a Deus, suprida por um inverno bastante generoso em quantidade de chuva. Isso garantiu que a maioria das barragens que nós recuperamos no período de estiagem enchesse em sua totalidade. Garantindo, assim, uma maior autonomia e chance de persistência do sertanejo no campo, tendo um tempo maior de uso daquela água. Como sempre digo, a água existe no sertão, em forma de chuva. O que é preciso fazer é investir em meios de guardá-la para usar durante a seca. Isso se faz, principalmente com as barragens e as cisternas, outra atuação que a nossa empresa, em breve, vai voltar a ter também no Estado”, argumentou.

 

Convênio Seidh

Foram investidos, em 2017, um total de R$ 2.000.000 em recursos do Funcep, obtidos pela Cohidro através de convênio com a Seidh. Ações de combate aos efeitos da seca e provimento de água para consumo humano no interior do estado. Das 13 barragens recuperadas em 2017, 12 foram custeadas nesta parceria. Essa parceria financiou também a aquisição de materiais de insumos para perfuração de 20 poços tubulares profundos. Destes, quatro comunidades receberam implantação de sistemas abastecimento de água com distribuição domiciliar, nos municípios de Simão Dias e Lagarto, assistindo 2.075 moradores. No total, o convênio beneficiou 32.770 pessoas no campo.

 

Programa ‘Água para Todos’

Os primeiros sistemas singelos de abastecimento de água financiados pelos recursos federais do ‘Água para Todos’, começaram a ser entregues em setembro de 2016, sendo concluídas no ano seguinte as 24 unidades restantes. Ao todo, são 36 sistemas que atendem 38 comunidades com uma população total de 6.339 pessoas. Um investimento de R$ 2.487.019,70, só na implantação das redes de distribuição e armazenamento de água, beneficiando 4.013 pessoas. Tal ação resulta dos 45 poços perfurados em 40 localidades, realizada em anos anteriores de vigência do programa.

Ao todo, o programa já investiu R$ 4.412.818,16 nos sistemas de abastecimento sergipanos, incluindo a perfuração dos poços. Vale ressaltar que existem unidades de abastecimento em que houve a parceria das prefeituras, das comunidades organizadas ou até por iniciativa dos moradores, para que a infraestrutura hídrica pudesse ser interligada às casas, construídas ou reaproveitando as já existentes. Foi assim nos povoados Curral dos Bois, Encruzilhada e Assentamento Caraíbas, em Japaratuba e nos povoados Bom Viver, Cambuí e Mangabeiras, em Santa Luzia do Itanhy. Há sistemas, como os dos povoados ‘Fazenda de Cima’, em Riachão do Dantas e do Estacada, em Tomar do Geru, que receberão dessalinizadores para o tratamento da água.

No Assentamento 05 de Janeiro, em Indiaroba, um sistema inaugurado pelo Governo do Estado em 17 de novembro, beneficia 128 famílias, ou seja, cerca de 700 pessoas, e correspondeu a um investimento de R$ 298.518,82. Já no Assentamento 27 de Outubro, entregue no mesmo dia, são mais 23 famílias, investimento correspondente a R$ 135.365,31.  “É uma obra social de grande alcance e nossa maior felicidade é ver os sorrisos dessas pessoas que não precisarão mais carregar baldes por longas distâncias ou precisar de carroças para ajudar a pegar água nos tanques ou rios da região”, defendeu o vice-governador Belivaldo Chagas.

Para as moradoras do 27 de Outubro, as agricultoras Maria Beatriz Santos Dória, 68, e Hélia Cardoso, 51, o acesso a água traz facilidades para o dia a dia. “Estou muito feliz e agradeço a Deus por essa água. Antes, precisávamos pegar água no rio ou no assentamento vizinho, mas são mais de 3 km de distância, tínhamos que usar as carroças para ir pegar a água, era difícil”, disse Maria Beatriz. “Agora vai facilitar o dia a dia, a limpeza da casa e até para gente beber”, completou Hélia.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter