BIO5 recebe nova área da Cohidro e é reconhecida como Utilidade Pública

Já é notável o entusiasmo dos produtores que serão beneficiados

Agricultores da Bio5, técnicos da Cohidro e Defesa Civil do Estado visitam nova área

Os produtores da Associação Sergipana de Orgânicos (BIO5) – alocados no Perímetro Irrigado Califórnia, em Canindé de São Francisco – receberam oficialmente, no último dia 10, a autorização da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação (Cohidro) para o uso de uma área de terra como uso coletivo. O objetivo do grupo de agricultores irrigantes é o de implementar cultivos orgânicos em carácter experimental.

Em tempo, os produtores também receberam do prefeito Heleno Silva o documento que sanciona a Lei que reconhece a BIO5 como sendo uma entidade de Utilidade Pública Municipal, que lhes dará benefícios como a isenção de impostos e autorização do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), para comercializar produtos orgânicos de origem animal e alimentos processados, como doces e saladas prontas.

Para o gerente do Perímetro Califórnia, Edmilson Cordeiro, o projeto só trará benefícios. “Os agricultores orgânicos do Projeto Califórnia, irão ter mais uma produção próxima à área urbana, assim beneficiando a população com a compra desses produtos. Da mesma forma que com a autorização de comercialização possibilitada pelo SIM, eles vão poder conquistar mais mercados, além da venda dos animais vivos. Isso vai incentivar outros produtores a aderirem à criação por métodos agroecológicos”, opinou.

Mardoqueu Bodano, presidente da Cohidro, agradeceu à Câmara de Vereadores de Canindé e ao Prefeito pela aprovação da Lei, que reconheceu a Bio5 como de “Utilidade Pública Municipal”. “O Companheiro Heleno e os nobres vereadores, sem dúvida, já devem ser grandes conhecedores deste importante trabalho realizado por estes agricultores orgânicos. Nós da Empresa fazemos o possível para favorecer e ajudar nessa iniciativa, como fizemos ao ceder a área para o trabalho deles. Gostaríamos até de poder contar com mais recursos, para poder ajudar ainda mais estas famílias de produtores que estão crescendo economicamente e fornecendo alimento saudável à comunidade”, reforçou.

Nova área

Entusiasmado o tesoureiro da Associação, Glicério Caetano Filho, revelou que “Todos estamos empenhados por causa do terreno, domingo iremos começar a arrumá-lo. Todo mundo vai trabalhar em prol das hortaliças orgânicas”, informa. O terreno que a Bio5 recebeu da Cohidro será um campo experimental não só para os orgânicos, mas também na criação de frango no modelo agroecologico.

O Diretor de Irrigação da Cohidro, João Quintiliano da Fonseca Neto, justificou ser merecida a concessão da área, junto a cede do Perímetro, para a Associação de Orgânicos. “A Bio5, antes de tudo, elaborou um completo projeto explicando os fins e objetivos de requerer o uso da área. Nós da direção da Empresa entendemos que seria válido o aproveitamento deste espaço para um fim produtivo e que vai favorecer bastante o trabalho do Grupo. Esses irrigantes estão trabalhando e progredindo na agricultura orgânica e noutras atividades produtivas a cada dia, não resta dúvida do empenho e dedicação dessas famílias”, concluiu.

Segundo Tito Reis, técnico agrícola da Cohidro que acompanha o trabalho da Bio5, uma das funções da área solicitada, será plantar mamona, gliricideas, capim guandu, leucemia e outras culturas, que vão servir como adubo orgânico, para recuperação dos solos muito saturados, nas áreas dos produtores orgânicos. “Na área também serão plantadas hortaliças com experimentos que caso deem certo já serão aplicados nos lotes. O local também servirá de visitação dos canteiros que irão construir em regime de mutirão”, explicou.

Utilidade pública Municipal

Tito Reis também revela a importância, para os agricultores da Bio5, da Lei sancionada pela Administração Municipal. “Agora eles vão poder abater, seguindo as normas sanitárias e sob a fiscalização do SIM, os frangos que eles já criam seguindo métodos agroecológicos. Poderão comercializar com segurança os ovos da mesma forma. Tem ainda a produção de doces caseiros e as saladas processadas que agora terão a certificação necessária pra alcançar novos mercados”, explicou.

Para o também produtor Gercino Teles, a qualidade dos alimentos, principalmente a do frango abatido será notável. “A nossa carne agora será diferenciada, terá mais qualidade, e é muito bom poder levá-la para a mesa do consumidor. Eu tenho certeza de que vai dar tudo certo, foi Deus quem mandou a BIO5 pra cá. Agradeço muito à Cohidro por estar também nos apoiando,” completou o agricultor que agora vai criar galinha caipira orgânica, para comercializar o produto já processado, além dos ovos, quando tiver o SIM.

Para o prefeito de Canindé, Heleno Silva, o motivo de aprovar a Lei votada na Câmara de Vereadores, vem do cunho social já exercido pela Bio5. “Nestes pouco mais de um ano de existência, esta Associação tem se mostrado verdadeiramente de ‘utilidade pública’, ao mudar as perspectivas dessas famílias rurais. Esses novos ramos de negócios abertos com o apoio insistente da Cohidro, através da agricultura orgânica, estão fazendo com que os produtores melhorem sua condição social. Com isso, ganha o Município com a geração de renda e ainda mais com o aumento da qualidade dos alimentos que eles produzem e que tem no mercado local sua principal demanda”, enfatizou.