Cohidro dá suporte à Perímetro da Codevasf em Canindé

postado em: Perímetro Irrigado Califórnia | 0
Bombas do Jacaré-Curituba

As companhias de desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), estatal do Governo do Estado, e a dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), federal, tanto administram pólos de irrigação vizinhos, em Canindé de São Francisco e Poço Redondo, como também compartilham o uso da Estação de Bombeamento (EB) 100. Nela, os equipamentos, das duas empresas, elevam a água a uma altura de 170 metros, em relação ao nível do leito natural do Rio São Francisco, fazendo-a chegar às instalações de distribuição, para irrigação dos lotes agrícolas atendidos por ambas.

Mas os 3.105 hectares de área irrigada, nos dois municípios, contidos no Projeto de Irrigação Jacaré-Curituba da Codevasf, dependem exclusivamente das duas bombas da Empresa, instaladas na EB-100. Há cerca de um mês, uma delas deu defeito. Devido a Cohidro possuir uma estrutura de logística e quadro funcional de técnicos maiores, sempre auxilia a Companhia Federal, prestando manutenção e fazendo reparos nos equipamentos das instalações que compartilha, como informou Edmilson Cordeiro, gerente do Perímetro Irrigado Califórnia, este sendo o administrado Empresa Sergipana em Canindé.

“Embora o defeito tenha ocorrido em pleno inverno, período onde ocorrem as chuvas e geralmente as bombas estão desligadas, logo elas terão que estar novamente a todo vapor, quando novamente estiar no Alto Sertão. Por isso, um projeto desse porte, como o Jacaré-Curituba, não pode depender só de uma bomba. Mas o defeito apresentado no eixo da bomba dependia da compra de peças e de serviços de metalurgia que estavam além da capacidade da Cohidro e por isso, se fez necessária a intervenção do Governo Estadual, para prover estes recursos extras ao orçamento de nossa Empresa”, detalhou Edmilson.

A partir daí, segundo o Gerente do Califórnia, ele e o Gerente de Pré-Operação do Jacaré-Curituba, Eurípedes José Lourenço, procuraram às direções de suas Companhias, para que, desse modo, fosse feito o reparo da bomba. Quem explica o que se sucedeu – propiciando que a bomba da Codevasf voltasse a operar normalmente desde o último dia 11 de julho – é o Secretário de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri), Esmeraldo Leal.

“Foi um pedido do Governador, Jackson Barreto, que convidou a mim e ao Said Schoucair, superintendente regional da Codevasf. E nos pediu, em função do problema temporário em relação à indisponibilidade de recursos na Codevasf, que nós fizéssemos o conserto através da Cohidro. A Diretoria da Cohidro se colocou prontamente à disposição e essa intermediação possibilitou que nós concertássemos a bomba. A intervenção do Governador e nossa ação conjunta, Secretaria da Agricultura, Cohidro e Codevasf, resolveu o problema no Perímetro Irrigado onde são mais de 700 famílias beneficiadas”, elucidou o Secretário Esmeraldo.

Presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano considera natural a relação entre as duas empresas e ratifica o apoio dado à Companhia Federal. “Primeiro a nossa Companhia abrange todo Estado, sem distinção, nosso compromisso é com o provento de água e com a agricultura em Sergipe, que é também o caso do Jacaré-Curituba. Em segundo lugar, assim como nós somos subsidiários à Seagri, a Codevasf é com o Ministério da Integração Nacional (MI), parceiro que sempre está contribuindo com nossas demandas”, argumentou, dando o exemplo do Programa Água Para Todos e das três perfuratrizes que a Companhia recebeu de 2013 a 2014 ,em convênio com o MI.

Parcerias para a gestão

Ontem, 28, secretários de estado, Codevasf, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e Movimento Sem Terra (MST), estiveram reunidos com o Governador de Sergipe para tratar do processo de cessão da administração do Projeto Jacaré-Curituba, aos assentados de reforma agrária que ocupam, ao todo, 36 agrovilas com 20 famílias cada uma. Na oportunidade, Jackson Barreto citou a ação realizada pelo Estado em favor da recuperação da bomba da EB-100.

“Temos colaborado em todos os momentos. Este é um projeto muito grande e importante, o maior da América Latina de assentados da reforma agrária, e ainda essa semana estivemos lá para contribuir com a recuperação de bombas”, citou o Governador Jackson Barreto na reunião, acrescentando ainda que no início do Projeto Jacaré-Curituba, houve um convênio, entre União e Estado, para aquisição de terras que viriam beneficiar os assentados, assim como ajuda com despesas de energia elétrica, se referindo às tarifas sobre a EB-100, pagas hoje com verbas da Cohidro.

Ascom Cohidro com informações da ASN.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter