Plantio de uva em Canindé será possibilitado por Cohidro e Embrapa

As videiras são formadas por parreiras suspensas por estacas interligadas por arames – foto: Raul Jacobsen/Freeimages

Parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), depois de propiciar o cultivo de maçã, pera e caqui em Lagarto, agora vai implantar duas unidades experimentais de uva, em Canindé de São Francisco. Como aconteceu no Centro Sul, o cultivo no Alto Sertão vai ocorrer num perímetro irrigado administrado do Governo do Estado, o Califórnia e foi possível via uma Emenda Parlamentar (EP) do Senador Antônio Carlos Valadares.

Consiste na transferência de tecnologias entre as duas empresas, trazendo à Sergipe aquilo que foi testado com eficiência comprovada nos campos de pesquisa da Embrapa em Petrolina-PE, utilizando variedades de uvas de mesa, para consumo e para produção de sucos, adaptadas ao clima nordestino. O projeto abrange cobrir os custos com o treinamento de técnicos da Cohidro, dos produtores irrigantes que irão receber o beneficio, além do fornecimento das mudas e de todos os insumos necessários para o cultivo, desde o sistema de irrigação, passando pelo estaqueamento, até os adubos e nutrientes específicos para a planta.

O Engenheiro Agrônomo da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Paulo Viana, esteve no Califórnia no dia 1, acompanhado do também Agrônomo Ascânio Ferrari, da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). A Codevasf levou a ideia ao Senador Valadares, de introduzir as novas variedades nas áreas de atuação de ambas as companhias e empresas de desenvolvimento em Sergipe. Desde 2010, o Extensionista Rural desenvolve este trabalho de introdução de novas culturas frutíferas em Sergipe: cacau, açaí, pera, maçã caqui, já introduzidos e com resultados positivos e agora a uva, no Alto Sertão.

“Cacau e açaí, a Emdagro introduziu na região Sul, em Arauá e em Umbauba. São oito produtores que desde 2011 estão cuidando de campos experimentais e os de açaí, já vão produzir de forma comercial no próximo ano. Com a pera, caqui e maçã, em Lagarto, o trabalho é desenvolvido pela Cohidro. A uva será introduzida em quatro campos, dois no Califórnia, administrado pela Cohidro e outros dois no Jacaré-Curituba, da Codevasf. O sistema de irrigação já está em Canindé e esperamos que no decorrer deste mês para o próximo, estaremos trazendo as mudas já adquiridas pela Embrapa de Petrolina”, elucidou Paulo Viana.

Gerente do Califórnia, Edmilson Cordeiro selecionou dois, dos mais de 250 agricultores familiares do Perímetro, para acolher o projeto, levando em consideração a dedicação no cultivo irrigado. “São produtores que aderem às nossas recomendações, sabem pôr em prática as orientações dos técnicos e por isso acabam por produzir melhor e de modo correto e sem prejudicar os outros produtores, ao evitar o desperdício de água”, explicou, informando também que Antônio Roberto Ramos, técnico agrícola da Cohidro, irá acompanhar a implantação das plantações de uva.

João Quintialiano da Fonseca Neto, Diretor de Irrigação da Cohidro, acompanha de perto a implantação do projeto em Canindé, explicando o objetivo da Companhia. “A intenção não é só favorecer os agricultores imediatamente contemplados com todos os insumos para introduzir essa nova cultura em seus lotes. Se a experiência se mostrar produtiva, é a chance de uma nova cultura ser abraçada pelos demais irrigantes e assim favorecer a agricultura local, que quanto mais diversificada, melhor será o preço final dos produtos, oriundos daquele Perímetro Irrigado,” considerou.

O presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano, está considerando praticamente certo o sucesso do projeto. “É a mesma água, do mesmo Rio São Francisco, que usam lá em Petrolina para irrigar as uvas, que hoje são o principal produto deles, tipo exportação e para fabricação de vinhos. Como lá, Canindé está inserido no bioclima do Semiárido, que se mostrou muito eficiente para cultivar a espécie. Estes brilhantes agrônomos da Embrapa são os donos de todo mérito em Pernambuco, é só o agricultor seguir o que explicarem que dará tudo certo”, comemorou. Agradecendo o empenho do Senador Valadares, lembrando que esta é a segunda EP favorecendo campos experimentais nos perímetros da Companhia.

Os produtores

Bento Ventura Nogueira também terá um plantio igual ao de Leidson e será um dos quatro produtores, em Canindé, a produzir as variedades de uva da Embrapa. Ele diz que a sua expectativa também é grande. “Por ser um plantio experimental estamos ansiosos para saber o resultado, é difícil ter alguma certeza já que é uma novidade o plantio da uva na nossa região, mas espero que dê tudo certo e que possamos aumentar a área plantada”, informou o produtor irrigante do Perímetro Califórnia, prevendo ampliar sua produção caso a experiência dê certo.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter