Infraestrutura hídrica da Cohidro beneficia 50 mil pessoas no campo em 2015

A Cohidro recuperou 28 poços que voltaram a funcionar durante o ano.

Nas ações voltadas ao fornecimento de água na área rural, os relatórios finais de 2015 contabilizam 50.662 pessoas beneficiadas pelo Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro). Durante o ano, a Empresa perfurou de 68 poços tubulares, oito novos foram instalados, recebendo casa de bombas, adutoras e reservatórios e outros 28 recuperados para voltar a funcionar. Da mesma forma que 102 desses sistemas receberam manutenção preventiva. No mesmo ano também foi concluída a recuperação de 837 barragens rurais de pequeno e médio porte, para armazenar a chuva do mesmo pleito.

Em recursos oriundos do Governo Estadual, foram investidos R$ 2.474.726,69 do orçamento próprio da Cohidro, em relação à perfuração, instalação, recuperação e manutenção de poços e ainda do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep) quando se refere ao custeio da recuperação de aguadas. Quanto aos 16 poços perfurados pelo programa “Água para Todos”, do Governo Federal e que é operacionalizado pela Empresa Sergipana, foram outros R$ 365.415,46 provenientes da União e Estado.

Durante os quase 33 anos de existência da Cohidro, a Empresa Já perfurou e pôs em operação em torno de 3.650 poços tubulares de media e grande profundidade, com uma disponibilidade de vazão média de 12,5 mil litros por hora. Foram também construídas aproximadamente cinco mil cisternas e duas mil aguadas, além da recuperação de outras 1.865 destas pequenas barragens. Nesse tempo, as ações voltadas à captação e armazenamento de água no campo, beneficiaram cerca de 250 mil pessoas em Sergipe.

Diretor de Infraestrutura Hídrica e Mecanização Agrícola (Dinfra) da Cohidro, Paulo Henrique Machado Sobral,informa que a Empresa dedica sua estrutura física e pessoal para o fornecimento de água, executando diferenciadas funções. “Temos geólogos que determinam o melhor lugar para a locação de um novo poço.Técnicos e perfuratrizes modernas para perfuração e equipes,que viabilizam a instalação, manutenção e recuperação, dos que deixam de funcionar. Engenheiros civis determinam como deve ser feita a construção ou a recuperação das barragens. E no ‘Água para Todos’, nossos especialistas fiscalizam os procedimentos de empresas licitadas”.

Mardoqueu Bodano, Diretor-presidente da Cohidro, estabelece que as ações desenvolvidas são motivadas pelas reivindicações feitas pelas comunidades rurais, priorizando os municípios onde os efeitos da estiagem são maiores. “Temos como missão levar ou restabelecer o fornecimento de água aonde as redes de distribuição urbanas de água não chegam, no caso do abastecimento humano.E também aonde os rebanhos sofrem com a seca, recuperamos os açudes coletivos das comunidades rurais e as barragens daqueles pequenos criadores que não têm condições financeiras para contratar máquinas”, disse.

Perfuração de poços

Novos 52 poços foram feitos diretamente pelas equipes da Cohidro, atendendo as demandas populares em Campo do Brito, Carira, Itabaiana, Pinhão, Canindé de S. Francisco, Gararu, N. Srª da Glória, Poço Redondo, Porto da Folha, Canhoba, Lagarto, Simão Dias, Capela, Aquidabã, Graccho Cardoso, N. Srª das Dores, Boquim, Itabaianinha, Frei Paulo, Poço Verde, Estância e Tomar do Geru. Nestes quatro últimos e também nos municípios de Santana do S. Francisco, Muribeca, São Francisco, Ilha das Flores, Japaratuba, Siriri, Barra dos Coqueiros, Itaporanga D’Ajuda, São Cristóvão e Salgado, foi onde atuou o “Água para Todos”, viabilizando outros 16 poços selecionados, locados pela Companhia Estadual e perfurados por empresa licitada.

“Com estes 16 poços terminados, encerra-se a fase das perfurações nos 40 poços da primeira etapa do ‘Água para Todos’. No momento estamos analisando as cartas-propostas do processo licitatório para contratar empresa que vai instalar bombas, adutoras e reservatórios, nesses sistemas de abastecimento”, destacou Paulo Sobral sobre a atual fase do Programa Federal que, como ele acrescenta, “beneficiarão 107 localidades rurais em 28 municípios”. Além dos já citados, também serão atendidos Aquidabã, Carmópolis, Cristinápolis, Divina Pastora, Indiaroba, Japoatã, Neópolis, Pacatuba, Pirambu, Riachão do Dantas, Riachuelo, Stª L. do Itanhy, Stº A. das Brotas e Umbaúba, na segunda fase.

Já Mardoqueu explica que são recursos do Ministério da Integração Nacional acrescidos também por investimentos do Estado, na viabilização do “Água para Todos”. “O investimento federal, feito nesse empenho confiado à Cohidro, foi de R$ 13,7 milhões e o Governo de Sergipe entrou com a contrapartida de R$ 720 mil. Tal liberação dependeu de um planejamento realizado por nossos técnicos, que incluiu a realização de um levantamento, uma pesquisa socioeconômica nas populações dessas localidades propensas em receber o novo poço e sistema de abastecimento”, lembrou o Presidente.

Instalação, recuperação e manutenção de poços

Depois de perfurados e passarem por testes de vazão, os novos poços recebem a estrutura de bombeamento, tubulações, reservatórios e em alguns casos um chafariz público. Oito destes novos sistemas de abastecimento foram postos em funcionamento. O poço do Povoado Pilambi, em Campo do Brito em 2015 foi perfurado, instalado e depois do investimento total de R$ 11.564,61, está fornecendo água para 70 pessoas. O mesmo ocorreu no poço do Povoado Pau D’Arco em Capela, investimento de R$ 14.445,88 e água para 100 pessoas. Mesmo número de atendidos no poço instalado no Povoado Bastião, em Tomar do Geru, que custou à Companhia R$ 10.518,78, como informou o Chefe da Divisão de Manutenção de Poços da Cohidro (Dipoços), Roberto Wagner.

“Com o tempo, os poços perfurados pelo Governo do Estado ou por outras empresas param de funcionar, se não passarem por uma manutenção constante. Dentre os pedidos que chegam a nós, recuperamos 28 poços comunitários que estavam parados este ano, atendendo cerca de 1.700 famílias”, acrescentou o Chefe da Dipoços da Cohidro. Ele exemplifica o trabalho realizado em quatro poços no Município de Areia Branca, que atendem 1.400, como também as 2.300 pessoas atendidas por outros três poços em Japoatã, 1.400 em Boquim e outras 1.150 em São Domingos.

Entre instalação, recuperação e incluindo o trabalho de manutenção preventiva de poços tubulares, bombas, casas de bomba, adutoras e reservatórios, o Diretor informa que entre o investimento total da Cohidro foi de R$ 250.927,37 no ano, atendendo um total de 21775 pessoas. “São exemplo das 102 manutenções de poços, as três mil pessoas atendidas por dois poços em São Miguel do Aleixo. Atendendo à demanda da dessedentação animal, 32 famílias foram beneficiadas em dois povoados de Porto da Folha e outras 66, em outros dois de Gararu”, enumerou Roberto Wagner.

Recuperação de barragens

Iniciado em 2014, o processo de recuperação das 837 aguadas seguiu até o início do ano seguinte e foi justamente neste período em que esses reservatórios de terra, reformados e ampliados, tiveram a oportunidade de voltar a acumular a água da chuva. Segundo o Engenheiro Civil da Cohidro, Valdi Aragão Porto, as obras foram possíveis a partir do convênio entre as secretarias de estado da Mulher, Inclusão, Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh) e da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri), atendendo em regiões onde foi declarado estado de emergência devido à estiagem.

“Dentre as barragens recuperadas, 14 delas eram de uso coletivo, de maior porte. Trabalho principalmente focado na região semiárida, como nas barragens do Assentamento Santa Rita em Canindé, Povoado Ouricuri e Lorenda em Gararu, Monte Santo em Monte Alegre, Fortaleza em Glória, Serra do Brijinho e Assentamento Che Guevara em Poço Redondo, na sede municipal e Povoado Quintas em Graccho Cardoso e povoados Pé de Serra e Querobinha em Porto da Folha”, listou Valdi Aragão, informando que com um investimento de R$ 1,9 milhões, ao todo a edição 2014/2015 do Programa de Recuperação de Barragens atendeu 21.970 pessoas que dependem dessas aguadas também para o uso doméstico, mas principalmente para a dessedentação dos rebanhos.

Paulo Sobral acrescenta que o Programa já atendeu 57,5 mil pessoas e com um investimento total de R$ 3,6 milhões reformou 1.869 barragens. “Agora nosso projeto, que está em fase de análise, pretende recuperar mais 1000 destas pequenas aguadas rurais e outras 20 barragens maiores, pensando no abastecimento coletivo em comunidades, Isso é mais do que já fizemos até hoje, superando as 15 dessas barragens públicas recuperadas pela Cohidro desde 2012”, avaliou.