Movimento Camponês leva demanda de poços no sul do Estado à Cohidro

postado em: Cohidro, Infraestrutura Hídrica | 0
Representantes do Movimento foram recebidos pelo presidente da Cohidro, José Carlos Felizola Filho – Foto Ascom/Cohidro

Trazendo demandas relacionadas à perfuração de poços comunitários para abastecimento humano em povoações rurais, estiveram hoje, dia 04, na Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), integrantes do Movimento Camponês Popular de Sergipe (MCP-SE). A Empresa deu sinal positivo para viabilizar, de forma gradual, os 10 sistemas de abastecimento de água requeridos para atender – neste mesmo número de comunidades – cerca de 180 famílias em Itabaianinha, Cristinápolis e Tomar do Geru.

A intenção do MCP-SE é de conseguir essas fontes de abastecimento de água nessas povoações rurais, na intenção de criar condições de permanência dessas agrofamílias no campo. Coordenador do Movimento, Ezequiel Gonçalves diz que o grupo representa comunidades rurais tradicionais, voltadas à produção de alimentos sem o uso de agrotóxicos, inclusive com uma própria marca de milho processado para cuscuz.

“A gente é um movimento social que organiza as famílias camponesas, essas companheiras que estão aqui são da região sul do Estado. São coordenações das comunidades que representam outras famílias. Essa demanda de poços que a gente tem aqui dentro da Cohidro é com o objetivo de conseguir esse espaço, para as comunidades. A gente tem um trabalho na produção de alimentos que são de hortaliças e beneficiamentos de cuscuz e a água – como na maioria do estado – a gente tem muita dificuldade”, relatou Ezequiel.

Presidente da Cohidro, José Carlos Felizola Filho recebeu os representantes da MCP-SE com entusiasmo, pelo o trabalho desenvolvido pelo grupo. “É importante valorizar e atender essas comunidades que vivem do campo, para que sejam oferecidos meios de subsistência na área rural que é de onde tiram o seu sustento. Fiquei contente em ver que a mobilização deles traz bons frutos, produtos com valor agregado para venda, que é o caso deste cuscuz. Vamos providenciar, conforme a disponibilidade das nossas equipes com as outras demandas, para atender esses poços requisitados”, disse o diretor da Companhia ligada à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri).

Diretor de Infraestrutura e Mecanização Agrícola da Cohidro, Paulo Henrique Machado Sobral, adianta que já existem trabalhos das equipes da Empresa nessas localidades e que será dada a continuidade, a partir disso. ”Dois ou mais desses poços já foram locados, ou seja, nossos geólogos já foram lá determinar a localização geográfica do ponto exato para a perfuração. Vamos fazer a locação dos que faltam e fazer uma programação, apresentando uma escala de prioridade dessas e das outras demandas, para poder fazer a execução de todos os poços”, acrescentou.

Ezequiel Gonçalves expressou que ele e o grupo ficaram satisfeitos com o encontro e que após atender esta demanda, mas querem também solicitar a água para irrigação. “Junto aqui com a Cohidro, vamos fazer essa parceria. A gente tem uma pauta prioritária, que seria pra o consumo humano a princípio, e num segundo momento, para potencializar a produção. Essa prioridade que a gente apresentou aqui que são dez poços, seria para o consumo humano, cerca de 180 famílias, dez comunidades diferentes em três municípios”, reforçou.