Setores técnicos da sede da Cohidro recebem reformas pelo PAS

A contar do mês de julho, serão oito meses de reparo, reestruturação e substituição de materiais

Piso superior do prédio era a parte mais comprometida – foto Ascom Cohidro

Prédio das diretorias técnicas da Cohidro, na sede em Aracaju, passa por reforma estrutural, onde 904 m² serão reconstruídos e adaptados às novas necessidades dos setores. Os servidores terão, através do empreendimento, a melhoria do ambiente de trabalho, proporcionando ampliação do local e maior eficiência na execução das funções. São recursos do Programa ‘Águas de Sergipe’ (PAS), alocados também na infraestrutura de trabalho das instituições que executam os projetos, a exemplo da frota da empresa, renovada em janeiro com 24 novos veículos.

Concomitante a essas duas demandas citadas, também entram a reforma dos escritórios dos perímetros irrigados da Ribeira, Jacarecica I e II, e a modernização da informática da empresa, ações onde estão sendo investidos um total de R$ 4.129.204,04. Serão oito meses de reparo, reestruturação e substituição de materiais na sede da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro). As atividades das diretorias de Infraestrutura Hídrica e Mecanização Agrícola (Dinfra) e de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola (Dirir), assim como seus departamentos, estavam sendo executadas em uma estrutura que remonta ao período da extinta Comase, de quem a Cohidro agregou este patrimônio.

Segundo o diretor Administrativo e Financeiro da Cohidro, Diogo Menezes Machado, “essa reforma está sendo realizada com recursos do Banco Mundial através do PAS, sendo que a obra é parte do empenho maior, que ainda inclui a recuperação dos escritórios do Jacarecica I, Jacarecica II e da Ribeira”. Ainda segundo ele, um investimento de R$ 1.234.401,08 fará a recuperação dos dois pisos do bloco das diretorias técnicas, totalizando uma área 904 m². “O prédio precisava desse investimento há bastante tempo e como tínhamos a metade de sua área inoperante, toda a sede da empresa precisava passar por adaptações para acomodar estes setores desalojados”, justifica.

O prédio construído há mais de trinta anos nunca passou por uma reforma e a estrutura deficitária fazia com que os funcionários trabalhassem em um ambiente reduzido. “A importância da reforma é que antigamente a estrutura do prédio estava numa situação precária, principalmente na parte de cima do prédio, que não oferecia segurança para o uso. Tínhamos que ficar só na parte do térreo. Em consequência, diminuía o espaço para a quantidade de servidores que ali estavam. E agora com a reforma, melhora drasticamente. A gente vai ter mais espaço e, consequentemente, o desenvolvimento das atividades vai melhorar consideravelmente”, afirma o assessor da Dinfra, Judá Benhur de Góes Cabral.

Da reestruturação, resultarão 28 ambientes e será reativado e ampliado do auditório. Dinfra e Dirir contarão, separadamente, com salas de diretores, gerentes, assessores, geólogos, técnicos e estagiários; de reunião, depósito, copa e recepção; conforme informa o fiscal da obra e engenheiro civil da Cohidro, Clayton Gomes de Araújo. “São 21 operários trabalhando em dois turnos, o prédio está sendo praticamente reconstruído. Do antigo somente a fundação permanecerá inalterada. Haverá a recuperação da estrutura de sustentação; alteração das paredes; troca do telhado, rebocos, cerâmica dos pisos e paredes, instalações hidro-sanitárias, louças e metais, divisórias, portas, instalação elétrica e iluminação, pintura; instalação de 28 novos ar-condicionados e a recuperação das esquadrias de alumínio”, listou.

O Programa Águas de Sergipe
Diretor-presidente da Cohidro, Carlos Fernandes de Melo Neto ressalta que do PAS, a maior parte dos recursos já foi ou está sendo investida nos campos de atuação da  Companhia. “Foram concluídos a Batimetria (capacidade de armazenamento) e o Georreferenciamento (delimitar áreas de proteção permanente) das barragens dos nossos perímetros irrigados inseridos na bacia do Rio Sergipe (Ribeira, Jacarecica I e II), isso após 30 anos de operação e beneficiando 8.255 pessoas da agricultura familiar. Um Investimento de R$ 886 mil já faturados, fora os R$ 1,4 milhão investidos em 22 carros e quatro picapes, para atuar na manutenção e assistência técnica dos perímetros”.

O presidente da companhia ainda informa que está em execução a implantação dos equipamentos de segurança de monitoramento das barragens, a capacitação dos produtores irrigantes e dos técnicos agrícolas da Cohidro para o uso adequado de agrotóxicos e a implantação da irrigação por microaspersão nos lotes do Jacarecica I e da Ribeira. “Essa troca está sendo feita sem custos ao agricultor e vai resultar em uma economia de 60% a menos de água e 50% de energia. E será contratada a elaboração de projeto técnico para modernização e automação dos sistemas de bombeamento, adaptado a este novo sistema de irrigação, para dar ainda mais eficiência”, complementa Carlos Melo, sobre mais estes componentes do PAS que resultarão em mais R$ 24.815.639 em investimentos.

O programa provém de um contrato firmado entre o governo de Sergipe e o Banco Mundial no valor de US$ 117.125.000,00, sendo US$ 46.850.000,00 a contrapartida do Estado. Tem como finalidade a melhoria da qualidade da água e recuperação ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe. Desse montante, cerca de US$ 8 milhões serão destinados à Cohidro para ações de modernização da infraestrutura dos perímetros irrigados e segurança de barragens, projetos e aplicação de recursos coordenados na empresa pela Dirir.