O Dia Mundial do Meio Ambiente e o papel da Cohidro

No Dia Mundial do Meio Ambiente a Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), atuando diretamente no fornecimento de água para irrigação, assistência técnica agrícola e gerência das áreas territoriais abrangidas por estes serviços, os perímetros irrigados e distrito de irrigação, externa seu trabalho e preocupação com o tema. A empresa e seus funcionários incentivam a Agricultura Orgânica como método alternativo ao modelo convencional de agricultura, que é mais nocivo à natureza, ao mesmo tempo em que combatem o uso indiscriminado e irregular de agrotóxicos. E ainda orientam, fiscalizam e tomam as medidas legais se ocorrerem algum desrespeito às áreas de preservação permanente (APP), obrigatoriamente instituídas nesses polos de produção.

A preocupação que a empresa tem em mostrar e incentivar a Agricultura Orgânica, como alternativa para os agricultores que assiste em seus perímetros irrigados, já ocorre há mais de 18 anos. Isso é desempenhado no acompanhamento diário dos técnicos agrícolas e engenheiros agrônomos, na promoção de atividades educativas, capacitações e prestando auxílio para que esses produtores tenham acesso aos mecanismos de regularização na comercialização destes alimentos livres de agrotóxicos. Exemplo disso as chamadas organizações de controle social (OCS), regidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e que permitem ao produtor ‘associado’, vender os alimentos que produz, diretamente ao consumidor, sob a designação de orgânicos.

Ponto de partida
A Agricultura Orgânica é um sistema que evita os riscos com a contaminação do ser humano, dos animais, do solo e da água por agrotóxicos, pois elimina o seu uso. Tem um manejo em que se permite a convivência das plantações com espécies de plantas e bichos que surgem naturalmente e que aumentam a diversidade genética nessas lavouras, agregando nutrientes ao solo e defendendo a produção de interferências externas. Esta linha de trabalho agroecológica acaba sendo um meio regulador de todos os outros pontos sensíveis, se tratando da relação agricultura e meio ambiente, e por este motivo serve de ponto de partida na lista de medidas ambientais da empresa.

Agrotóxico
Para o controle do uso de agrotóxicos em seus perímetros, a Cohidro executa ações de conscientização, treinamento e controle de emissão do Receituário Agronômico, com o apoio e fiscalização da parceira Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro). E nisso ainda se acresce a preocupação com o indivíduo que manuseia estes produtos, onde a atuação também abrange a obrigatoriedade do uso do EPI (equipamento de proteção individual) e da realização de exames de sangue para detectar possíveis contaminações, nesses trabalhadores rurais.

Do ponto de vista do meio ambiente, o agrotóxico oferece riscos de contaminação quando aplicado nas lavouras de maneira diferente do que é especificado nas normas regulamentares e recomendações do fabricante. O mesmo risco de contaminação também ocorre quando não se faz o descarte correto das embalagens desses produtos, sendo que hoje é obrigação e lei que todo comerciante receba de volta as embalagens vaziadas do produto que vendeu, para que então a empresa as encaminhe para o descarte correto.

Cartilhas educativas
A Cohidro publicou simultaneamente duas cartilhas educativas. A de ‘Racionalização do Uso de Agrotóxicos’ explica o método correto de aplicação e destaca os produtos comerciais com menor grau de toxidade para combater um determinado tipo de doença ou praga. Já a cartilha ‘Produtos Alternativos para o Controle de Pragas e doenças na Agricultura’ oferece receitas utilizando ingredientes não-tóxicos, com aceitação na Agricultura Orgânica, para também combater as enfermidades das plantas e até dos animais. Ambas publicações têm versões online para baixar no site da Cohidro, sendo que a última também passou recentemente por uma reedição, digital e impressa.

APPs
Nos perímetros irrigados a Cohidro preserva, fiscaliza, e até busca as sanções legais para aqueles que desrespeitarem as APPs, reservadas nestes polos de irrigação. São espaços de preservação natural para se desenvolver a biodiversidade, onde é terminantemente proibido caçar, desmatar, plantar ou construir. Dessa forma, a empresa possibilita que exista a exploração responsável da terra e água, podendo conviver homem e natureza no mesmo ambiente.

Atualmente, através do Programa Águas de Sergipe, os perímetros irrigados da Ribeira, Jacarecica I e Jacarecica II estão recebendo investimentos geridos pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), que visam a adequação e recuperação ambiental da bacia do Rio Sergipe, onde estão inseridos estes polos produtivos. Além de ações que vão racionalizar o uso dos recursos hídricos, tornando a irrigação fornecida pela Cohidro mais eficiente, existe o trabalho paralelo de reflorestamento das matas ciliares dos cursos d’água e reservatórios. Na última quinta-feira (7), no Açude da Marcela em Itabaiana, o Governo do Estado fez o plantio inaugural das 600 mil mudas que reflorestarão as áreas degradas, nestas barragens e também na do Rio Poxim, em São Cristóvão.

Preocupação mundial
No dia 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, pois nesta data, em 1972, iniciou a Conferências das Nações Unidas sobre o ambiente humano, em Estocolmo. O que ficou marcando como a primeira vez em que todas as nações do planeta demonstraram a preocupação com o tema.